segunda-feira, novembro 27, 2006

Tele -mecânica

Olá sou o BP e este é o meu primeiro post...
Estou nervosinho!, pois esta equipa maravilhosa trabalha incansavelmente dia após dia para apresentar aos leitores um trabalho, gozão, sério e de respeito. Obrigado.
Felizmente vivo em Portugal!
Agora que já ultrapassamos as obrigatoriedades da boa educação quero relatar um episódio que ocorreu nessa "bela empresa" que dá pelo nome de R..e E.....o! Faltam letras mas penso que toda a gente identificou, de que empresa se trata! publicidade aqui, só, PAGA!
Ah O SONHO! O SONHO!
Bom!, este episódio revela bem o periodo de mutação e modernização que a nossa sociedade está a atravessar! Ontem, a tele-medicina, hoje, a tele-mecânica, amanhã a tele-procriação medicamente assistida.
Ia eu a caminho de viana do castelo quando senti a "espectacular" capacidade de travagem do bicho de dois andares que nos transportava. Cada vez que aquilo abrandava os travões faziam uma chinfrineira que arrepiava! Mas onde realmente a malta animava era nas rotundas! O Cole dos "dias de tempestade" havia roer-se de inveja com as razias que o nosso motorista fazia!
A viagem decorria nesta aparente normalidade, quando à saida de Esposende, que é a ultima paragem antes de Viana (fica a 20 minutos), o condutor achou estranho tanto barulho! E faz o primeiro de dois testes de travagem, era necessário provar uma relação de causalidade entre o barulho-travagem. Fez o primeiro teste, e demonstra-se a teoria proposta. Ora, no segundo teste já houve conselhia técnica! Fiquei a saber deste facto pelo comentário que o senhor motorista proferiu:
- "OUVISTES-A !? OUVISTES-A!??, GUINCHA-SE TODA!!!"
Viva portugal!

Este comentário é analisado noutro post que não este!

Ceci n'est pas une post

Apresentar-te aos deuses e deixar-te
entre sombra de pedra e golpe de asa
exaltar-te perder-te desconfiar-te
seguir-te de helicóptero até casa

dizer-te que te amo amo amo
que por ti passo raias e fronteiras
que não me chamo mário que me chamo
uma coisa que tens nas algibeiras

lançar a bomba onde vens no retrato
de dez anos de anjinho nacional
e nove de colégio terceiro acto

pôr-te na posição sexual
tirar-te todo o bem e todo o mal
esquecer-me de ti como do gato




Mário Cesariny de Vasconcelos
1923-2006

domingo, novembro 26, 2006

Global Orgasm

Como se já não bastasse ao pobre homem a pressão de, pura e simplesmente, ter que estar à altura de proporcionar um orgasmo à sua parceira, agora, parece que de tal capacidade resulta também o fim da guerra no mundo.
A organização Global Orgasm está a apelar para que dia 22 de Dezembro (solestício de Inverno), as pessoas concentrem os seus pensamentos, durante e após o orgasmo, na paz do mundo. Dizem eles que a alta energia orgásmica combinada com uma crença profunda na paz pode causar um maior impacto do que as orações ou a meditação. Parece que a energia do escudo da Terra aumentará, reduzindo deste modo os perigosos níveis de agressão e violência que existem hoje em dia por esse mundo fora.
Uma coisa assutadora é a contagem decrescente no canto superior direito do site. Da última vez que entrei na página dizia: "Countdown to synchronized global orgasm: 25 days, 15 hours, 00 minutes, 42 seconds". Será melhor começar a fazer abdominais, flexões e correr kms para estar em forma nesse dia? Não quero ser o único ser humano a falhar. Logo eu que, nas semanas seguintes a ter visto o Armageddom, sonhava ser como o Bruce Willis e tornar-me prospector de petróleo só para poder cortar o tubo de oxigénio do Ben Affleck e carregar no detonador da "drill machine" que iria salvar o mundo.
Acho que, pelo menos à minha conta, tenho capacidade para conseguir excitar os elementos químicos que só têm um elctrão de valência (tipo o Hidrogénio, o Lítio, o Sódio e o Potássio. Afinal química não dá jeito somente para entrar na faculdade). É pouquito, mas porra, também são necessários para a energia do escudo da Terra e eu não me importo de ficar com essa parte. O Brad Pitt que excite os electrões de valência do Molibdénio, do Lantânio e do Ipérbio que é para isso que lhe pagam.

sábado, novembro 25, 2006

O Cobrador do Fraque

Mário, estás a dever-me uma garrafa de um bom tinto por eu te ter salvo da cave daquela loja de ferragens, já tu estavas com uma bola vermelha na boca... Diz que ias à procura de uma anilha de borracha para o chuveiro... O velhote deve ter pensado: "Uma anilha pó chuveiro... O que tu queres sei eu!"

sexta-feira, novembro 24, 2006

O small talk

Aqueles que me conhecem sabem que não tenho nenhuma paciência pelo small talk. Não é por nada. Apenas não gosto.
Esta semana tive um jantar que sabia à partida que teria que ter a minha taxa de small talk elevada. Confesso que com uns copinhos sinto-me mais confiante para enfrentar qualquer tipo de small talk e por isso até passou bem. Assim, fui durante uns minutos o melhor amigo de um professor não sei de quê em Praga, conheci duas miudas que querem ir para Praga estudar, um radialista português em Macau, tive lições sobre os movimentos de extrema-esquerda portuguesa e sobre a constituição do Bloco, se a Joana Amaral Dias era abrutalizada de forma a que não a vissem como uma mulher bonita mas como uma besta verborreica, que a Joana Amaral Dias é muita boa, que também quem é muita boa é Monica Belluci e a Giselle Blunchen e uma animada conversa sobre cinema de animação com um estudante de engenharia. Quer dizer... isto são as ideias gerais que apanhei porque na maior parte das convesas não percebemos metade do que se diz por causa do barulho. Mas mesmo assim estamos ali a fazer o ar mais interessado do mundo, como se para nós, não houvesse mais nada tão importante como saber se o Nemo é melhor que a Fuga das Galinhas
Sei que alguns destes vou encontrar mais vezes mas aos outros fica o meu obrigado por manterem uma conversa tão animada.

PS
O Moreira não gosta lá muito de vinho tinto.

quinta-feira, novembro 23, 2006

Philippe Noiret (1930-2006)


Faleceu o senhor Philippe Noiret, o cheio de bonomia Alfredo de "Cinema Paraíso", um dos filmes que tem a capacidade de me fazer soltar umas lagrimitas, confesso. Quer-me parecer que, ao serão e em jeito de homenagem, vou rever o "Cinema Paraíso", acompanhando com uma garrafa de bom tinto (o tinto não é em jeito de homenagem, é somente porque está a apetecer-me). Estou certo de que brindaremos.

domingo, novembro 19, 2006

Soundtrack of my life

Há tempos, o Samuel lançou aqui um desafio. Na altura participei. Um exercício deste género sofre constantes mutações. Hoje, não sei por que motivo (talvez por motivo nenhum), voltei a delinear uma listinha de músicas. Aqui fica a "banda sonora da minha vida", pelo menos hoje e, mais interessante do que isso, um apelo a que participem com as vossas escolhas, se não tiverem algo de útil para fazer enquanto não começa o jogo do Sporting.
Apenas um reparo. Para a “love scene” escolhi uma música que dura apenas 3: 30 min. Talvez isso não seja muito bom, pensando em termos de bilheteira :)

Opening credits: By this river - Brian Eno
Waking-up scene: I´m only sleeping - Beatles
Average-day scene: Walk on the wild side – Lou Reed
Best-friend scene: Tunnels – The Arcade Fire
First-date scene: Ice Cream Man - Tom Waits
Falling-in-love scene: : Let´s get it on – Marvin Gaye
Love scene: Northern sky – Nick Drake
Fight-with-friend scene: Corduroy – Pearl Jam
Break-up scene: Last Goodbye - Jeff Buckley
Get-back-together scene: Hey, that´s no way to say goodbye - Leonard Cohen
Fight-at-home scene: Bigmouth strikes again – The Smiths
"Life's okay" scene: Don´t let it bring you down - Neil Young
Heartbreak scene: Love will tear us apart – Joy Division
Mental-breakdown scene: Where is my mind? – Pixies
Driving scene: The Passenger – Iggy Pop
Lesson-learning scene: Like a Rolling Stone - Bob Dylan
Deep-thought scene: Tangled up in blue – Bob Dylan
Flashback scene: Ten years gone – Led Zeppelin
Party scene: Hang on to yourself – David Bowie
Happy dance scene: I´m gonna rock some more – Beverly Guitar Watkins
Regret scene: Dead flowers – Townes Van Zandt
Long-night-alone scene: Crown of Thorns - Mother Love Bone
Death scene: Rock N´Roll Suicide - David Bowie
Closing credits: Made of stone - Stone Roses

Há certas imgens que têm o poder de nos acalmar o espírito. Ontem aconteceu-me isso com o decote da Adelaide de Sousa.

sexta-feira, novembro 17, 2006

Grunge is dead

Há certas canções que têm o poder de nos acalmar o espirito. Há bocado aconteceu-me isso com Desafinado na versão dos Quarteto Jobim-Morelenbaum

quarta-feira, novembro 15, 2006

Outra vez o Sr. Veiga

Ontem todos tivemos a oportunidade de assitir ao arresto de bens pessoais do Sr. Veiga por dívidas a um banco do Luxemburgo, ou coisa que o valha. Até aí, nada de novo. Não deverá haver uma pessoa neste país que meta as mãos no lume pela honestidade e seriedade deste Sr.
Claro que o Sr. ficou muito indignado e foi logo à TVI dar uma entrevista para se explicar. Declarou que o que lhe custava mais era a família estar exposta a este circo mediático e que isto só lhe acontecia porque querem deitar abaixo o Benfica.
Como a TVI estava presente na hora do arresto, pudemos apreciar a categoria do recheio de sua vivenda estampada em belos sofás, tapeçarias e bibelôs da mais fina bibeloaria nacional e internacional. Sabemos no entanto, que ao Sr. Veiga, o que lhe custou mesmo, foi o arresto de algumas peças de elevada estima pessoal, como o CD Filhos do Dragão autografado pelo Macaco, uns cabelos do bigode de Frasco (num frasco), uma impressão digital do João Pinto tirada directamente da Taça dos Clubes dos Campeões Europeus de 1987, um Dragão de Ouro, o copo do primeiro shot do Jardel, um boneco de Vodoo com 44 agulhas espetadas que personificava o Pinto da Costa e uma lata de laca Wella.

domingo, novembro 12, 2006

Beware of the dog


Sim, eu tenho um caniche. E depois? Aí está a prova de que, passados 12 anos, o meu cão consegue executar na perfeição o acto de recolher e entregar um objecto. Qualquer dia, tenho um companheiro para o "frisbee". Acho que o canito já merece um azulejo ao portão de casa a dizer "cuidado com o cão".

sábado, novembro 11, 2006

E que tal processarmos o Estado?

O melhor de ter concluído o 12.º ano foi o não ter que ir em mais nenhuma excursão, em visita ao Mosteiro da Batalha, ao som de Ace of Base, Bon Jovi, Bryan Adams, 4 Non Blondes, Seal, Eros Ramazzotti, Roxette, Neneh Cherry, Aerosmith, Everything But The Girl, Crash Test Dummies, Whigfield, Vengaboys e Aqua.
Não admira que o insucesso escolar em Portugal seja elevado. Estavam à espera que os meus colegas que compravam e faziam questão em levar merda desta fizessem matemática? Nunca na vida!
Só tenho pena que um gajo, nessas alturas, não se pudesse embebedar ou charrar para suportar pesadelos deste género.

Jornalismo

Não percebo nada do código deontológico dos jornalistas, mas será que nele existe alguma alínea que obrigue a que toda e qualquer reportagem relacionada com paraquedismo, balões de ar quente e demais modalidades aéreas tenha sempre como música de fundo a "I believe I can fly" do R. Kelly?

Uma vez que o Mário referiu o Neil Young...

quarta-feira, novembro 08, 2006

Adenda

Para que não fiquem a pensar que a minha existência por estas horas se resume a ler os desportivos on-line, desenganem-se. Antes estive a ver/rever o último Prós e Contras onde se discutiu o OE2007. Teve lá o ministro das finanças e tudo. Devo dizer que me ilucidei um pouco mais sobre o assunto. Dum lado é mofo, do outro é bafio!

PS
Já alguém reparou que um político não responde a perguntas directas? Nunca. Estão proíbidos, só pode. Eu só imagino o que será fazer uma história clínica a um tipo destes:

Bom dia! Ora então o que é que o traz por cá?
Antes demais, Sr. Dr., deixe-me só referir aqui uma coisa que acho muito importante e não pode nem deve ser esquecida. É que por acaso tenho comigo os últimos dados da OCDE e como pode ver... paleio... paleio... paleio... paleio... paleio... paleio... de forma que não evacuo há 7 dias!

Deja vu

Numa noite de insónias encontro n'A Bola a seguinte notícia:

"1ª derrota para Artur Jorge"

Houve alguém uma vez que disse que a História repete-se em ciclos. Artur Jorge, homem letrado, quis provar o contrário e deu-se mal. Entrou numa espiral.
É que para ele os ciclos parecem cada vez mais curtos...

domingo, novembro 05, 2006

E o meu avô deixou-me de herança o MC Hammer...



A isto se chama ir sozinho ao cinema e vir de lá preenchido.
Por um breve momento, pensei que toda a plateia se levantasse e dançasse ao som de "Can´t touch this". Ainda esbocei um pequeno movimento nesse sentido, mas não me senti acompanhado. Para algumas pessoas, passados 90 minutos, ainda existia uma tela entre o filme e a realidade.

sábado, novembro 04, 2006

We´re a happy family!

From the Muddy Banks of the Wishkah

Samuel, companheiro de infortúnio, deixámo-nos adormecer. Enquanto isso, o Baião e o Serra rondavam que nem falcões de caça. O que nos terá acontecido?


Serra, vibrando em Stamford Bridge... Do Chelsea desde pequenino.

On the road



Um tributo aos melhores companheiros de viagem.

E esta foto poderia muito bem ser a capa do álbum de uma qualquer nova banda a surgir lá para os lados de Alcobaça!

Mega torneio de "Quarto Escuro"

Estão abertas as inscrições!

quinta-feira, novembro 02, 2006

O meu estado de alma. Hoje.


Site Counter Hit Counter