sábado, dezembro 30, 2006

Bom 2007!

New Year´s Day


E porque não sou nerd, nem estudante de informática (o nosso visitante "a" que me desculpe), não vou passar o ano perto de um computador. Como tal, aqui fica (em antecipação) o meu primeiro post de 2007. A escolha musical mais previsível que se poderia fazer para o 1.º de Janeiro.

Campanha de marketing

Porque ninguém comenta neste blog e, as poucas pessoas que comentam ou são homens ou assinam com nicks masculinos (agora até já temos malta que diz que fez a tropa com o Vítor Baía), este post é uma tentativa de angariar público feminino. Manifestem-se. Não quero acreditar que aquelas 8000 pessoas que nos visitaram são homens que aqui chegaram ao pesquisarem no Google as expressões "Eva Green", "flops mais ridiculos do futebol clube do porto", "The Wage" ou, "Mário Alcatrão".





E com isto acho que acabei de admitir que estes gajos são giros. O que eu não faço por este blog!

Os melhores de sempre (hoje não estou com meias medidas)

Ainda estou a recuperar do susto. Estive a poucos segundos de preencher o meu perfil no hi5, com informações acerca de gostos pessoais e coisa e tal. Felizmente, encontrei o Sandro no messenger, como alguém que está prestes a atirar-se dum prédio, mas que encontra o Paul Hogan (Crocodilo Dundee) que, por acaso, se passeava pelo parapeito das janelas do 15.º andar. Estava à beira do precipicio, mas tomei a decisão correcta: Dei um passo atrás. Aprendi que o passo que se deve dar é para trás, porque ficou histórico o João Pinto que estava à beira do precipício e deu o passo em frente (qual Harrison Ford em Indiana Jones e a Grande Cruzada).
Mas como agora ando numa fase de listas e listinhas, talvez por ser final de ano, época de balanços, ou apenas motivado pelos top5 do John Cusack em High Fidelity, aqui ficam as minhas escolhas. Não entendam o blog como o caixote do lixo de tudo o que não vai para o hi5. Também li que o Tarantino faz listinhas de tudo e mais alguma coisa, portanto, isto é "cool" e nada mais a acrescentar.
Música

Jeff Buckley, Portishead, Smashing Pumpkins, Pixies, The Clash, Bob Dylan, Radiohead, Led Zeppelin, Neil Young, Pearl Jam, Alice in Chains, Soundgarden Lou Reed, Jorge Palma, The Velvet Underground, David Bowie, Brian Eno, Joy Divison, Leonard Cohen, Nick Drake, Serge Gainsbourg, Nick Cave, The Smiths, Tom Waits, Sonic Youth, Arcade Fire, Rolling Stones, White Stripes, Ella Fitzgerald, Aretha Franklin, Tom Jobim, Elis Regina, Vinicius de Moraes, John Coltrane, Charlie Parker, Miles Davis.
Cinema

O Padrinho, Pulp Fiction, Little Miss Sunshine, Eyes wide shut, Magnolia, 24hour party people, Fightclub, Último Tango em Paris, Amores Perros, Alta Fidelidade, As Horas, Donnie Darko, Cinema Paraíso, Easy Rider, The Good, the bad and the ugly, Citizen Kane, Psycho, O grande Lebowski, Fargo, Apocalypse Now, Hable con ella, Annie Hall, American grafitti, American beauty, Dazed and confused, Taxi Driver, Laranja Mecânica, Antes do anoitecer, Casablanca, Voando sobre um ninho de cucos, Cidade de Deus, Goodfellas, O fabuloso destino de amèlie, Touch of evil, Modern Times, A vida é bela, Trainspotting, Fightclub, Ed Wood, Eduardo mãos de tesoura, Snatch, Rio Bravo, Stand by me, Jules et Jim, As asas do desejo, My own private Idaho, Boogie nights.
Livros

Os amantes sem dinheiro, Os versos do capitão, A insustentável leveza do ser, Cem anos de solidão, O velho e o mar, Aparição, O Estrangeiro, On the road, Trópico de Capricórnico, A náusea, As partículas elementares, Crime e castigo, Os Maias, O sangue dos outros, Capitães da areia, O ano da morte de Ricardo Reis, Cantos de Maldoror, Livro do Desassossego, Retrato do artista quando jovem, O retrato de Dorian Gray.

Para o Serra

Porque já me custa ouvir o Serra afirmar que o Sporting e o Benfica são os clubes que mais erram em contratações, aqui fica uma listinha de excelentes aquisições do F. C. Porto na última década. Não se comecem a rir logo desde início, se não, não conseguem chegar ao final e é uma pena.

N'Tsunda
Kralj
Kaviedes
Sonkaya
Ronald Baroni
Da Silva
Mandla Zwane
Walter Paz
Kiki
Buturovic
Panduru
Pena (na 2.ª época)
Cláudio “Pitbull”
Leo Lima
Vinha
Mogrovejo
Erickson
Alejandro Díaz
Rodolfo
Areias
George Jardel
Neves
Romeu
Wozniak
De Sousa
Gaspar
Chippo
Esquerdinha
Péter Lipscei
Quinzinho
Arnold Wetl
Rubens Júnior
Alessandro
Cajú
Miran Pavlin
Luís Cláudio
Sílvio Maric
Josivan
Soderstrom
Quintana
Joca
Rafael
Buzsáky
Evaldo
Serginho Baiano
Leandro do Bonfim
Lucas Mareque
Tarik Sektioui

quinta-feira, dezembro 28, 2006

Efemérides

Há duas datas que comemoro porque afectam e condicionam, de facto, a minha vida: o dia do ano em que sinto necessidade de ligar o aquecimento pela primeira vez e o dia do ano em que atiro com toda a roupa da cama para o chão e dispo o pijama, para poder dormir (só visto uns boxers porque podem ser os meus pais a acordar-me no dia seguinte e, também, porque ninguém adivinha onde é que as melgas poderão morder).

Guilty pleasure

Costumo ver The O. C. - Na Terra dos Ricos. Confesso que gosto.

A minha escolha para o karaoke


Li, aqui há tempos, que Thom Yorke tem uma relação de amor-ódio com "Creep". Embora tenha sido a música que catapultou os Radiohead para o sucesso, no entender do vocalista também a ela se deve todo o "mainstream" que os condicionou durante anos e lhes valeu o epíteto de maior banda do mundo, coisa que nunca desejaram. No entanto, refere que, volta e meia, tem necessidade de retornar a esta música, por muito que lhe custe.Volta e meia, também eu sinto uma urgente necessidade de limpar o pó à capa de "Pablo Honey"e seleccionar a faixa 2. Além disso, era uma grande falha ainda não termos posto em rotação, aqui no blog, "Creep". Em 2007, prometo que vou deixar de dar tanto uso ao YouTube. Ando a abusar, mas, ao fim ao cabo, este site foi a personalidade do ano para a revista Time.
Detesto karaoke, mas se algum dia me apontarem uma arma à cabeça, acho que para o que eu levaria mais jeito em termos de interpretação vocal seria mesmo a Creep. Ou então, talvez me aventurasse na "Alive", dos Pearl Jam. Estando eu certa vez completamente bêbedo na "Império" e tendo ido à casa-de-banho, dei comigo a cantar Pearl Jam, tendo sido aplaudido por um ilustre desconhecido que ocupava o urinol ao lado. Recordo-me de ele ter dito qualquer coisa do género "Eh pá, pareces mesmo o Eddie Vedder!". Acho que lhe dei um beijo e paguei um fino. Sou um gajo facilmente impressionável. No entanto, o que eu gostava mesmo de interpretar no karaoke era a "Let´s get it on", mas para além de umas excelentes cordas vocais era ainda necessário menear a cabeça e fazer constantemente um olhar sedutor. É demasiado!

quarta-feira, dezembro 27, 2006

Perguntar não ofende

Acabou um dos blogs que eu seguia religiosamente. Todos os dias lançava uma daquelas questões que não fazem sentido e, como tal, o seu sentido era esse mesmo, não terem sentido algum, até porque sou um grande fã de exercícios acerca do nada. Poderei sempre relembrá-lo, aqui.
Exemplos de questões pertinentes que diariamente eram colocadas:
"Qual é o tempo mínimo que uma troca de olhares deve durar para que eu saiba se estou envolvido num jogo de sedução ou apenas no meio do caminho?"
"Notam alguma diferença quando põem os auriculares left e right nos ouvidos errados?"
"É assim tão difícil compreender que basta carregar num dos botões - e apenas uma vez - para chamar o elevador?"
"Àquelas pessoas que insistem em corrigir-me cada vez que digo yoga em vez de yôga, devo mandá-las à merda ou à mêrda? Ou o melhor é não ligar a idiôtas?"
"Quando é que podemos deitar fora aquele papelinho que nos dão no final de cada compra efectuada com cartão multibanco?"
"As pessoas já não desaparecem de casa ou a Polícia Judiciária deixou de o divulgar na Televisão?"
"Os botões das camisas de mulher são à esquerda para facilitar a vida aos homens?"

terça-feira, dezembro 26, 2006

Ainda o Tango

Tenho mesmo que aprender isto

Eva Green: a sofisticação pós-James Bond



Tudo isto para dizer que ainda não vi o último da saga Bond, mas que acho mais verosímil e interessante a Eva Green dos primeiros tempos, talvez porque mais perene, terrena, sem artificialismos e ainda desprovida daquela capacidade de despir um homem somente com o olhar, deixando-o, ali mesmo, à mercê do seu instinto de felina, completamente emudecido e desamparado, agitado, pronto a ser usado. É por causa de mulheres como Eva Green que ser machista é feio e está fora de moda. Elas é que mandam! Por mim, tudo bem, desde que não abusem e manipulem (e até podem abusar). Acreditem, não pensem que ando a ver demasiado "O Sexo e a Cidade".

Quando Eva Green era (apenas) uma sonhadora

Resolução de ano novo

Em 2007, vou aprender a dançar o Tango

"Sinais Vitais"

Na quadra natalícia acontece sempre qualquer coisa, quanto mais não seja devido ao facto de termos mais tempo disponível para, por exemplo, lermos a revista do Expresso do início ao fim. No sábado, apercebi-me de que o Luís André, meu companheiro (e de outros membros do blog) no ciclo, afinal é o Luís Mieiro, médico, que, de há algum tempo a esta parte, vem escrevendo a crónica "Sinais Vitais", na Única.
Tal como tinha contado a alguns de vós, encontrei-o em Agosto último. Informou-me que tinha acabado a licenciatura em Medicina, no Santa Maria, mas que em vez de fazer o exame de acesso à especialidade e começar a trabalhar, decidira passar um ano sem rumo, de África até ao Oriente, em missão de voluntariado. Apeteceu-me perguntar-lhe que erva andava a fumar, mas, realmente, é uma grande experiência de vida para a qual é necessária muita coragem.
Talvez ainda se torne famoso e eu veja publicado um livro consistindo na correspondência que com ele troquei durante os largos anos em que viveu em Macau; qualquer coisa do género "Correspondência entre Luís Mieiro e Filipe Moreira", se bem que, para mim, será sempre o Luís André.
Quem quiser ir seguindo o blog dele, pode fazê-lo aqui.

Personagens da história de Portugal

Estou apreensivo. O senhor Manuel Subtil está há 10 minutos fechado na minha casa-de-banho. Tocou à campaínha a perguntar se podia lavar as mãos em virtude de ter estado a mudar o pneu do automóvel.

Parece Dezembro...

sábado, dezembro 23, 2006

Aquela época do ano que agora diz que é mau associar com o nascimento daquele que nao podemos dizer o nome

A toda a dezena de leitores deste blog, os votos de muita peúga no sapatinho, muito truço do menino Jesus e muito pijama do Pai Natal, que é como quem diz umas Boas Festas!

sexta-feira, dezembro 22, 2006

é pra ti!

quinta-feira, dezembro 21, 2006

Donnie Darko

Estranhas coincidências


Como é que foi possível terem sido necessários milhares de anos até um tipo, chamado Richard Kelly, se ter lembrado de repescar para a banda sonora de um filme Love will tear us apart, dos Joy Division, Under the milky way, dos The Church e The killing moon, dos Echo & the Bunnymen?

quarta-feira, dezembro 20, 2006

Parece tão simples...

Porque há filmes que dizem tudo...

terça-feira, dezembro 19, 2006

Listas... listas... listinhas...

Melhores álbuns do ano (não necessariamente por esta ordem):

1. Cat Power - The Greatest (sim, devo estar apaixonado pela moça...)
2. Comets on Fire - Avatar (psicadelismo... séc. XXI)
3. Bob Dylan - Modern Times (não é tão genial como o pintam - o álbum - mas é bem bom)
4. Lambchop - Damaged (alt-country)
5. Black Angels - Passover (Black Mountain, versão 2006)
6. Pink Mountaintops - Axis of Evol (lo-fi classic rock do senhor que nos deu os Black Mountain)
7. Pearl Jam - Pearl Jam (por razões sentimentais mas não só... bom álbum rock)
8. Woven Hand - Mosaic (David Eugene Edwards - 16 Horsepower - a solo)
9. Tom Waits - Orphans (não ouvi ainda - há-de ser Prenda de Natal... - mas tenho a certeza que é do caraças... Dylan - Young - Springsteen e Waits? Melhores songwriters de sempre?)
10. Archie Bronson Outfit - Derdang Derdang
11. Ray Lamontagne - Till the Sun Turns Black
12. Wolfmother - Wolfmother (Black Sabbath + Led Zeppelin = diversão garantida)
13. Mark Lanegan & Isobel Campbell - Ballad of the Broken Seas
14. Bert Jansch - Black Swan
15. Sonic Youth - Rather Ripped

Concerto do ano:

Pearl Jam - Pavilhão Atlântico - 4.09.06

Menção Honrosa:

Cat Power - Cinema Batalha, Porto - 5.12.06

Filme do ano:

The Departed - Martin Scorcese

Livro do Ano:

Os Cadernos Secretos de Sébastien - André Benjamim (vão já a correr comprá-lo!!)

Plano

Trabalho o poema sobre uma hipótese: o amor
que se despeja no copo da vida, até meio, como se
o pudéssemos beber de um trago. No fundo,
como o vinho turvo, deixa um gosto amargo na
boca. Pergunto onde está a transparência do
vidro, a pureza do líquido inicial, a energia
de quem procura esvaziar a garrafa; e a resposta
são estes cacos que nos cortam as mãos, a mesa
da alma suja de restos, palavras espalhadas
num cansaço de sentidos. Volto, então, à primeira
hipótese. O amor. Mas sem o gastar de uma vez,
esperando que o tempo encha o copo até cima,
para que o possa erguer à luz do teu corpo
e veja, através dele, o teu rosto inteiro.

Nuno Júdice

Eu vou!


Não diziam nada, mas já não conseguem passar despercebidos. Devem é andar ocupados a negociar com a organização como é que funcionarão as coisas relativamente a drogas, "groupies" e piscina insuflável no "backstage". Quem quer ir até ao Casal Novo (perto de Leiria), dia 22 de Dezembro?
Se não quiserem jantar e pagar 8 euros, podemos levar a "bucha" e pagar somente 1,5 euros para assistirmos ao concerto. Mas atenção, parece que os 8 euros (ou makapés, parece que lá a moeda é diferente) incluem BEBIDA À DISCRIÇÃO!
No caso de não estarem a apreciar o espectáculo e chegarem mesmo ao ponto de pensarem em voz alta "que bem se estava agora no sofá, ao lado da minha tia velhota, a ver o natal dos hospitais", têm sempre a oportunidade de lhes atirarem com o que tiverem mais à mão. Por enquanto, ainda não são mais que os Oasis e é assim que as bandas enrijecem!

segunda-feira, dezembro 18, 2006

Antecipando-me ao Samuel...

Aqui fica a minha lista de melhores álbuns do ano, não necessariamente por esta ordem e tendo em conta o que ouvi, como é óbvio (não sou nenhum Marcelo Rebelo de Sousa).
Orphans: Brawlers, Bawlers and Bastards, Tom Waits
The Life Pursuit, Belle and Sebastian
Ringleader of the Tormentors, Morrissey
Broken Social Scene, Broken Social Scene
Ys, Joanna Newson
We shall overcome, Bruce Springsteen
The letting go, Bonnie “Prince” Billy
Begin to hope, Regina Spektor
The greatest, Cat power
Rather ripped, Sonic Youth
Modern times, Bob Dylan
The Hardest walk, Soledad Brothers
Se a aposta de vermos quem escolhe mais álbuns em comum com o Y do Público fôr para a frente, vejo-me obrigado a ter que acrescentar Artic Monkeys, The Raconteurs e Gnarls Barkley para ter mais hipóteses de vencer :)
Bernardo, e que tal um top 5 do que mais tens vendido por estes dias?

Ofereçam donativos "Human Fund"

domingo, dezembro 17, 2006

O nosso blog estará mesmo incluído?


Vou abandonar o blog. Não posso pertencer a um projecto bem sucedido.
Aqui, podem consultar a lista de vencedores que nos antecederam. Parece-me que não é muito honroso figurar ao lado da maioria destas personalidades. Preferia ter escrito um livro de adivinhas que ocupasse o 2.º lugar no top da Bertrand, a apenas 1 exemplar vendido de diferença do "Eu, Carolina", mas sem qualquer hipótese de chegar a n.º1.
Este ano, então, que falta de imaginação da revista "Time". Não se lembraram de mais nada. Parece o fraquíssimo campeonato de 2000/2001 em que o Boavista acabou mesmo por se sagrar campeão.
Se o Fiúza tiver um blog, é gajo para pertencer ao grupo de personalidades de 2006. E, graças ao choque tecnológico implementado pelo engenheiro Sócrates, 50% do "YOU" a que a revista TIME se refere é bem capaz de ser constituído por cidadãos portugueses, na faixa etária dos 50 aos 85 anos, que buscam incessantemente no Google palavras como Viagra, Sexo, Benfica, Rádio Renascença on-line, António Sala, Herman José, Estado do tempo, Chave do euromilhões, Badaró e Próteses dentárias em 2.ª mão, como novas. Estes cidadãos são os mesmos que no ecrã do computador têm colado um "pos-it" com o seguinte: "Carregar no maior botão do computador; esperar cerca de 50 segundos até aparecer um fundo azul com umas núvens; carregar 2 vezes no botão esquerdo do rato e em cima de «ligação à rede»; vir com o cursor ao fundo do ecrã; aparece a barra «iniciar»; ir lá e escolher «internet explorer», fazendo deslizar o rato para a frente."

Melhor filme natalício


Como estamos quase a chegar ao Natal, época de todos os "tops" e "best of", apetece-me imitar também este "cliché". Como melhor filme para a quadra natalícia voto, de entre os clássicos, em Do Céu caiu uma estrela, de Frank Capra e, dentro do cinema mais recente, em O amor acontece, de Richard Curtis.
"Cliché" à séria teria sido escolher o Sozinho em casa, Assalto ao aeroporto (cuja única associação com o Natal é o facto de ter toneladas de neve. Como tal, o Fargo seria tão ou mais válido para o mesmo efeito) ou Música no coração (que também não consigo associar ao Natal, mas que todos os anos as televisões insistem em repetir e, por isso, como que mediado por um reflexo de Pavlov, relaciono com esta quadra festiva).
Samuel, aguardo ansiosamente a tua listinha de melhores álbuns do ano. Até podíamos fazer uma aposta a ver quem acerta em mais "álbuns do ano" para o Y. Como andamos tesos, a aposta podia ser, muito simplesmente, quem acertar em menos álbuns é um ovo podre. Em caso de derrota, depois não me venhas com a história do "ovo podre és tu, quem diz é quem é!". É que, nesse caso, vejo-me obrigado a ripostar com um super irritante "Gostas de merda? Não? Ah! Então é porque já provaste!"

sábado, dezembro 16, 2006

Falcão

quinta-feira, dezembro 14, 2006

Conversas nas paragens do metro do Porto

PC: Oube lá, ó macaco! Tenho aqui um serbicinho pra ti, oubistes?
M: É pra malhar em quem desta bez, doutor?
PC: Qual malhar o quê? Alguma bez te mandei malhar em alguém, seu morcão?
M: Aton num se lembra daquela bez..
PC: Cala-te caralho! Desta bez num é nada disso, tás a oubir? Quero que me faças um faborzinho muito importante, penso eu de que...
M: Diga, diga doutor, bou já mandar aquecer o Cajó, o terror do Aleixo, e o Mitra, o biolador de Famalicon
PC: Ó homem, cala-te pá. Oube lá o que eu te bou dizer
M: Força, doutor
PC: TRAQUE
M: Quer um cigarrinho doutor?
PC: TÁ QUIETO E OUBE LÁ O QUE TE BOU DIZER, CARAGO! BÊ LÁ SE NUM TE PONHO A DECORAR UM POEMA DO JOSÉ RÉGIO! Quero que tu bás ali à Borten e compres o Nothing like the sun do Sting
M: Do Sting doutor?
PC: Cala-te, pá! Bais lá e compras o que te disse, depois bais pra Lisboa
M: Lisboa?
PC: Sim, Lisboa!
M: Bou já buscar o maçarico
PC: Põe-te quieto, Macaco. Bais pra Lisboa e bais procurar uma tal de Maria José Morgado, tás a ber? Bais ser um gentleman e bais seduzi-la, mas bem seduzida, penso eu de que...
M: É boa? É que eu agora tenho um fait-divers com a Juraci de Bragança. Ai, tão boa, doutor, tens uns marmelos tão docinhos...
PC: É affaire, Macao, affaire! Ora bamos lá ber... Chegas a Lisboa, procuras por essa murcona, pagas-lhe um cimbalino e uma nata, cunbersas um bocado e conbidas-la pra uma pensão ou albergaria. Em chegando botas o Sting na telefonia. Por esta altura a murcona já debe tar todinha derretida. Num falha!
M: Só isso? Pra isso bou ali à Ivani
PC: Calma, macaco, tem calma. Isto num é assim do pé pra mão! Trata-la bem, mas como a uma senhora, oubistes? Num te peides mais que uma bez por hora. Num é como essas rameiras com que tu andas.
M: Nem depois de comer uma francesinha especial?
PC: Nunca mais que um traque por hora. Se conseguires, ela bai-te cair aos teus pés.
M: Mas é só isso?
PC: Quando ela tiber caídinha por ti, bais começar a oferecer-te pra lhe depilares a virilha e descolorar-lhe o buço. Se ela arranjar as sobrancelhas, também és tu que fazes isso. Esfoliações, espremer pontos negros, etc. és sempre tu que lhas fazes, oubiste? Se conseguires tirar umas fotos melhor ainda. Tás a oubir?
M: Tou, tou
PC: Entretanto bou-te matricular ali na EB do bairro do Aleixo pra ber se aprendes a escreber
M: Boltar à escola? Tótil! Bou curtir a desancar nos miudos pra lhes roubar o Chipicao e as roupas da Floribella pra bender na feira de Espinho
PC: Cala-te caralho! Olha que chamo o Octávio pra mister outra bez! Ora bamos la ber! Seduzes-la, botas o Sting e fazes-lhe essas coisas todas que te disse, buço, virilhas, pontos negros, essas coisas, tás a oubir? Depois de teres feito isso tudo dizes-lhe que se ela num se portar bem com o FCP bais por a boca no trombone e escreber um livro a contar essas coisas todas, que até já boltaste à escola e tudo.

Entretanto chegou a composição do metropolitano de superfície

PS
Tentei que os intervenientes não fossem identificáveis
Se mesmo assim me acontecer alguma coisa quero que o Moreira fique com a minha coleção de pirosas

De volta

Depois de um interregno volto à vossa companhia.
Durante o intervalo nada de muito significativo se passou comigo, mas trago novidades.

A barragem do Picote é património nacional
A burra do Casimiro pariu uma mula
O discman do samuel foi desmontado e vendido às peças em Alijó
O moço do Cajó já diz mamã e jardineiro
A direcção dos HUC está a considerar adoptar taxas moderadoras de utilização dos elevadores
José Socrates foi visto a pressionar António José Teixeira para que lhe garanta acesso à coleção completa do Muzzy no imediato e não ter de esperar pelas sextas-feiras
O chibo da ti Maria Berta está com as barbas de molho
O Moreira anda meio doente da garganta e não pode apanhar sol na moleirinha

Vítor Constâncio: recuperação da economia portuguesa "é convincente"

Se o Vitinho diz a gente acredita!!! Mas já lá vai o tempo, do: "está na hora da caminha..." É uma pena o descrédito de certas instituições! Vitinho contigo para sempre!!!

Portugal obrigado a devolver 4,57 milhões de euros de fundos agrícolas

A fundo perdido pff... Vá rapaziada toca a devolver as Mercedes e as boinas da lacoste

Tráfico de influências

Um colega de curso pediu-me para lhe gravar um cd com umas músicas. Assim fiz. Incluí um tema dos The Wage.

segunda-feira, dezembro 11, 2006

Mais um assalto...

Esta semana assaltaram o meu carro pela terceira vez em pouco mais de 2 meses! E, mais uma vez, roubaram-me um discman e uma carrada de cd's (felizmente, desta vez, eram só cópias!). Veja-se a minha história com larápios de discmans: há um primeiro assalto ao meu carro em que me roubam o discman (que usava, através de um elaboradissimo sistema, para ler cd's no auto-rádio) e o álbum que por lá parava. Até aqui tudo bem. Aconteceu. Ora, obviamente, uns dias depois compro outro discman. No dia em que coloco este novo discman no carro, este é novamente assaltado, tendo eu como baixas a declarar este novo leitor de cd's e um outro álbum. Vai dai, penso para os meus botões: "como este carrinho é mais fácil de abrir do que as pernas da Elsa Raposo, o melhor é não voltar a comprar um discman para aqui!". Consequentemente, decido dar uso ao meu primeiro discman, velhinho, que só permite que se ouça alguma coisa quando lhe apetece e, mesmo assim, nem sempre em stereo! Durante umas semanas uso este. Passado um bom periodo sem assaltos a declarar, confiante, na certeza de que os outros dois assaltos tinham sido uma mera e infeliz coincidência, decido voltar a investir num discman que me deixasse ouvir realmente um álbum, sem tschks, paragens, sfffffsss e com todos os instrumentos audiveis, aproveitando uma promoção de um dos nossos hipermercados. Nesse mesmo dia vou até ao Porto com ele e depois de ver este dificil teste superado (Porto=cidade dos gatunos, n'est pas?), passo a acreditar que este é o "the one", aquele discman que estaria destinado a ficar para sempre no meu carrinho (ou até que eu decidisse comprar um auto-rádio daqueles modernaços, que apanham mais do que uma emissora de rádio e até permitem a leitura de cd's). No dia seguinte a essa ida à Invicta, depois de uma noite como tantas as outras, estaciono o carro na rua da minha casinha e, prudentemente, coloco o discman debaixo de um dos bancos, não fosse o diabo tecê-las. De manhã sou informado (pelo meu pai, que foi o primeiro a usar o carro) que todo o conteúdo musical do carro havia desaparecido, entre discman e cd's. Não acreditei! Bolas, até tinha escondido a merda do discman!! E aquela merda não valia nada! Era Mitsai!! Mas era verdade... mais uma vez tinham roubado o meu precioso discman...

Tudo isto é, obviamente, bastante frustante: em primeiro lugar, acredito que se os ladrões soubessem de quem era o carro, não o tinham assaltado! Não, não têm medo de mim... não é nada disso... mas fomos colegas de escola caraças!! De certeza!! Há algum bandido por aí que não tenha andado na Silva Gaio? (olá Xano, tudo bem?) Que não tenha sido um daqueles rapazes que por lá andavam a ameaçar os professores com facas e outros instrumentos cortantes? Eu conhecia-os a todos, jogava à bola com eles e, passe a imodéstia, era respeitado pelas minhas qualidades futebolisticas. Ainda por cima, fico pior do que estragado quando imagino aqueles tipos a olharem para os álbuns que larapiaram e a comentarem: "Foda-se! Johnny Cash? Magnolia Electric Co.? Mudhoney? Mas este palhaço não ouvia música de jeito?". Sim, porque de certeza que estes tipos não têm grande cultura musical e ou ouvem merda ou hip-hop, o que é basicamente o mesmo! (que me desculpem todos os que se possam eventualmente sentir ofendidos pela minha aparente prepotência e arrogância! Isto é só uma personagem. Eu não sou assim - eu sei o que fizeram ao Sr. Richards! Todo o cuidado é pouco! Olá Serra, estás aí?) Por outro lado, ainda não afastei completamente a hipótese de estar a ser vitima de um complot orquestrado pelas Wortens e Box's deste país! Toda a gente sabe que eu não consigo estar mais de uma hora sem ouvir música! Toda a gente sabe que na rádio não passa música! Toda a gente sabe que eu preciso de ouvir os meus álbuns, a minha música! A Worten sabe disso! A Box também! Cá para mim eles andam a seguir-me, roubam-me - ou mandam roubar -discman atrás de discman na certeza de que eu lá voltarei a enterrar 20 euritos! Nestes momentos sinto-me um viciado em crack! E, por último, a mais triste e frustante das coincidências: quando eu vou ver o carro, na vã esperança do meu pai ter visto mal e do discman estar lá, ainda debaixo do banco, reparo que, no banco de trás, orgulhoso nas suas vestes roxas aqui e ali retocadas pelo amarelado de alguma ferrugem que teima em mostrar-se, à vista de tudo e todos, sorri o meu velhinho discman! Aquele que me acompanhou em tantas batalhas! Aquele, que já não me permitindo ouvir um álbum em stereo, afogando ora a voz, ora a guitarra, ora as teclas, ora tudo, me continua a ser fiel! O único! "The One"...

Ora bolas... e não podiam ter levado este e deixado o outro?

domingo, dezembro 10, 2006

Retirado do hi5 do Mark Renton (secção "about me")

"The truth is that I'm a bad person. But, that's gonna change - I'm going to change. This is the last of that sort of thing. Now I'm cleaning up and I'm moving on, going straight and choosing life. I'm looking forward to it already. I'm gonna be just like you. The job, the family, the fucking big television. The washing machine, the car, the compact disc and electric tin opener, good health, low cholesterol, dental insurance, mortgage, starter home, leisure wear, luggage, three piece suite, DIY, game shows, junk food, children, walks in the park, nine to five, good at golf, washing the car, choice of sweaters, family Christmas, indexed pension, tax exemption, clearing gutters, getting by, looking ahead, the day you die. "

Está por um fio...

No outro dia, fui jogar à bola. Fiz uma exibição do caraças, passe a modéstia. O segredo foi imaginar que escutava a Born to run, do Springsteen, enquanto ia deixando os adversários, um a um, para trás. Eh, eh. Já uma vez tinha lido que o Michael Johnson, antes de qualquer corrida de 200 metros, ouvia sempre a Me against the world, do Tupac. Quando descobrir que música trauteia o Ronaldinho enquanto dá espectáculo, poderei definitivamente abandonar o curso e este blog para abraçar, por inteiro, uma carreira futebolística no Sporting.

sábado, dezembro 09, 2006

Tenho saudades de um filme assim...

Plágio?

Apercebi-me, agora mesmo, de que os 10 primeiros segundos de Estilo, dos Mão Morta, são exactamente iguais aos 10 primeiros segundos de Dama do Sinal, dos Ornatos Violeta. E o que é que isso interessa? Acho que nada.

Carne Trémula


Ainda não vi cena de sexo tão bem filmada e dotada de tanto erotismo como a de Carne Trémula, de Pedro Almodóvar.

sexta-feira, dezembro 08, 2006

Conjectura na política portuguesa

Cavaco Silva e José Sócrates têm cada vez mais ar de quem partilha a pomada com aplicador para as hemorróidas. Tudo a favor da contenção orçamental.

Can she excuse my wrongs?

Com a edição de hoje do jornal "Expresso" ficamos a saber que na sua autobiografia Eu, Carolina, - obra que passou a figurar instantaneamente no top ten de literatura 2006 de Miguel Sousa Tavares -, Carolina Salgado revela que se apaixonou por Pinto da Costa ao som de Sting. A minha pergunta é: E, mais propriamente, ao som de que música? Love is stronger than justice, She´s too good for me, Perfect love... gone wrong, Prelude to the end of the game, Can she excuse my wrongs, Russians, The dream of the blue turtles, They dance alone, The secret marriage, Behind my camel, Rehumanize yourself, Every little thing she does is magic, ou King of pain? Confesso que tive que ir a www.allmusic.com pesquisar a discografia do Sting e dos The Police.
Carolina mostra ainda no livro os bilhetes de amor que o presidente lhe escreveu: "Giorgio love Carolina". Ah, poliglota! Três palavras, três línguas (uma delas o italiano) e um erro na conjugação da forma verbal. Este gajo só podia mesmo escrever em italiano, como que se de um membro da Cosa Nostra se tratasse. Carolina revela ainda que Jorge Nuno gosta de frango com ovos e "cafuné" para adormecer.
O artigo é acompanhado por esta bela fotografia que deve ter sido retirada do Hi5 do Pintinho. Se o Ricardo Fernandes tocou na taça por que raio é que o cocker não haveria igualmente de poder fazê-lo?

O maior clube do mundo tem agora mais um sócio

Alexandre Litvinenko, espião russo, morreu em Londres, alegademente envenenado por polónio-210.
Reid, ministro da Administração Interna britânico, confirmou que foram encontrados sinais de Polónio 210, o veneno que matou Litvinenko, na casa do ex-agente, no hospital onde esteve internado, bem como no restaurante e no hotel onde esteve no dia em que se começou a sentir mal, a 1 de Novembro. Já foram também descobertos indícios semelhantes em "vários locais de Londres", incluindo dois edifícios de escritórios no centro da cidade.
O Devaneios de Gozões está em condições de adiantar que um desses locais de Londres é um estabelecimento comercial onde podem ser adquiridos "kits novo sócio do Benfica".
Contudo, o Baião continua a defender e a reunir provas para suportar a tese de que Litvinenko adquiriu e consumiu atum "Bom petisco", fora do prazo de validade, no mercado negro londrino.

terça-feira, dezembro 05, 2006

Apedrejem-me que eu deixo!

Pois é, nesta Queima, vou no carro. Já me desenharam a caricatura (sim, eu conheci pessoalmente esse vulto, Luís Costa). A sensação do encontro foi um bocado como conhecer o pai natal, só que o pai natal pode encontrar-se todos os anos no fórum coimbra, em frente à H&M. Portanto, mais correcto será dizer que a sensação esteve mais próxima daquela energia cósmica de que fala o Paulo Cardoso, o vidente das estrelas, e que se pode explicar do seguinte modo: aquela alegria que sentimos, uma vez na vida, quando Saturno está alinhado com a constelação de Cassiopeia e formando um ângulo de 30 graus com Vénus, ao mesmo tempo que o cometa Haley pode ser visto somente da área circundante à barragem de Vilarinho das Furnas e todos os deputados decidem ir à assembleia da república no mesmo dia. Conclusão, o Luís Costa é um gajo mistificado, no entanto, de trato bastante afável. Desenhou-me mal como o caralho, mas, também, não pode fazer milagres.
Ora bem, tudo isto para dizer que, à minha caricatura, é suposto acrescentar umas bocas ou situações engraçadas que me tenham acontecido e em que alguns de vós estiveram, ou não, envolvidos. Dispensam-se coisas do género: "Moreira, tu estás aqui"; "Lembras-te daquele dia em que percorreste a Figueira de pijama?"; "Senhor polícia, eu sopro no balão, mas não me confisque estes cd´s pirateados"; "Lembras-te quando roubámos o menino Jesus do presépio?"; "E quando fomos malhar finos a noite toda para uma roulotte em Oeiras e dormimos meia-hora antes de um jogo contra o Benfica!"; "Senhor capitão, você é o culpado da derrota!", "O teu caniche é gay!", entre outras coisas. De resto, estejam à vontade e a vossa colaboração será bem-vinda. Humilhem-me ou massagem o meu ego! É à la carte.

Provocação...

Num claro gesto provocatório para com o gang encabeçado por FM, a câmara municipal de Coimbra e o concessionário do parque verde do Mondego (com certeza também em consonância com o diário das beiras), decidiram embelezar aquele vistoso monumento que lá se encontra (há quem diga que é uma das 7 maravilhas do mundo), e colocaram novamente o belo do gorro e do cachecol no urso gigante, não vá o pobre coitado apanhar um resfriado!
De relembrar que o Urso tinha sido queimado com gasolina há cerca de um ano por um gang rival que na altura toda a opinião pública culpou sem fundamento FM e os seus cúmplices de tal ocorrência, responsabilidade essa que o líder do grupo refutou de imediato, e que mais tarde se veio a provar verdade.
Estas atitudes provocatórias não se destinam no entanto unicamente ao gang que tem sede, ao que podemos apurar, num bar conimbricense de seu nome Piano Negro, bar este com claras ligações a Al Qaeda , pois também os autores do gravíssimo incêndio se viram confrontados logo no dia a seguir com a resposta dura e pronta do vereador da câmara municipal, das quais ficaram célebres frases como: "Ou vocês estão connosco, ou estão com os terroristas","A busca pelos culpados destes actos terríveis está encaminhada, estamos a fazer todos os esforços para encontrar os responsáveis e traze-los a justiça. Não faremos distinção entre os terroristas que cometeram este acto, e aqueles que o arquitectaram","vamos ja hoje decidir como será feita a sua recuperação, mas é certo que o "animal" voltará a marcar presença naquele parque da cidade","o ataque deliberado que aconteceu no dia de ontem contra o nosso parque verde, foi mais do que um acto de terrorismo, foi um acto de guerra", acabando com um "Nos vamos apanha-los"!!!

Restará saber qual dos dois gangs reagirá primeiro a estes acontecimentos, quer a reconstrução do urso no mesmo sítio onde caiu e ainda um pouco maior, quer agora a colocação de artigos natalícios no animal.


style="display:block; margin:0px auto 10px; text-align:center;cursor:pointer; cursor:hand;" src="http://photos1.blogger.com/x/blogger/2558/1473/320/971527/urso.jpg" border="0" alt="" />

segunda-feira, dezembro 04, 2006

Entrevista a um amigo do Pinto da Costa

sexta-feira, dezembro 01, 2006

Em defesa de Michael Richards...

...e o resto é conversa!


Site Counter Hit Counter